Como é trabalhar na Espanha?

O post mais lido do blog é o que escrevi sobre o mercado de trabalho espanhol, os salários e a necessidade do visto de trabalho, mas esses dias estava pensando que nunca vim aqui contar as curiosidades sobre como é trabalhar numa empresa espanhola, e existem várias.

Claro que é complicado generalizar e dizer que todas as empresas da Espanha são iguais, porque obviamente não são. Mas depois de ter nada menos que seis experiências profissionais em apenas três anos, acho que já posso falar um pouco sobre o assunto com conhecimento de causa, embora também seja importante ressaltar que quase sempre trabalhei com comunicação, que é um setor que tem suas especificidades.

Antes de começar a trabalhar aqui, eu tinha alguns estereótipos na cabeça e muitos amigos brasileiros diziam que era difícil fazer amigos no trabalho, que os colegas costumavam ser “secos” ou que os chefes te exploravam pelo fato de sermos imigrantes. Mas, para mim, nada disso foi verdade.

Fiz uma listinha com os pontos que acho mais curiosos:

Contratação

Se você tem um documento que te permite trabalhar, ser contratado por uma empresa é um processo bem mais fácil e rápido que no Brasil. Normalmente eles só te pedem uma cópia do documento (NIE ou DNI), o número da Seguridad Social e sua conta bancária. Você pode fazer tudo isso por email e assina o contrato no primeiro dia de trabalho. Ah, e a carteira de trabalho não existe!

Colegas de trabalho

Os colegas de trabalho aqui são chamados de compañeros. Não sei se eu que sou muito sortuda ou um pouco Poliana, mas sempre tive compis legais, dispostos a ajudar e abertos. Ajudou – e muito – o fato de trabalhar em equipes multiculturais (quase nunca eu era a única estrangeira), mas nunca me senti menosprezada por ser de fora.

Além disso, os espanhóis com quem trabalhei são super animados e adoram fazer happy hour, salir de cañas e alguns se tornaram amigos fora do ambiente de trabalho.

Com os colegas de estágio na festa de fim de ano!

Com os colegas do meu primeiro estágio na festa de fim de ano!

Horário de trabalho

Nos escritórios, é comum trabalhar das 9h às 18h, embora tenha gente que entre um pouco mais cedo ou mais tarde. O problema é o horário de almoço, que costuma ser lá pelas 14h… ou seja, eu fico morrendo de fome. A vantagem é que o resto da tarde passa voando.

Já no verão, a grande vantagem é que muitos escritórios adotam a “jornada intensiva”, você trabalha menos horas e não almoça, assim sai mais cedo. Aqui na empresa, teremos jornada intensiva em julho e agosto, quando meu horário será das 8h às 14h30. A ordem é aproveitar o verão ao máximo!

Férias

Diferentemente do Brasil, onde na maioria das vezes você tem que esperar completar um ano de empresa para tirar férias, aqui eles são mais flexíveis em relação a isso, principalmente se você começa a trabalhar antes do verão porque TODO MUNDO quer sair de férias nessa época do ano.

Algumas companhias dão férias coletivas em agosto e outras, não, mas te permitem tirar uns dias de férias mesmo se você esteja há pouco tempo na empresa.

Salário

Se no Brasil nós ganhamos 12 salários ao ano mais o 13º, aqui você pode receber 12 salários no ano ou 14 – 12 salários + 2 pagamentos extras. Claro que isso não significa ganhar mais: é simplesmente o seu salário somado por ano dividido em 12 ou 14 vezes. Algumas empresas dão ao empregado a opção de escolher e outras não. As pagas extras são pagas no início do verão e em dezembro, antes do Natal.

Aniversário na empresa

O aniversariante costuma trazer algo de comer para os colegas no dia do aniversário – normalmente biscoitinhos. Às vezes, as pessoas se reúnem para felicitar a pessoa e em outras (especialmente se a empresa for grande) o aniversariante simplesmente deixa a fôrma na cozinha do escritório com um bilhete do tipo: “Hoje é meu aniversário, pegue um docinho. Ass. Fulano”.

De colega de trabalho a amiga da "vida real"

De colega de trabalho a amiga da “vida real”

Tem gente que acha isso impessoal, mas eu vejo o lado positivo: o aniversariante compra doce pro escritório inteiro, incluindo gente que ele nem conhece!

Trabalhar em Madrid

Muitas empresas de Madrid não estão no centro da cidade, como a maioria das pessoas pensa. Há uma grande concentração na região do Paseo de la Castellana, mas também há muitas empresas nas aforas de Madrid, especialmente em San Sebastián de los Reyes e Alcobendas, onde os aluguéis são mais baratos. Na hora de avaliar se vale a pena, leve em conta o tempo de deslocamento (o trânsito costuma ser complicado) e o gasto, seja com gasolina ou com transporte público, já que essas duas cidades estão na zona B1.

Benefícios

Aqui os benefícios comuns no Brasil, como vale-refeição ou vale-transporte, normalmente não são concedidos ou estão incluídos no salário, com exceção das grandes empresas.

Além disso, aqui muitas empresas contam com cozinha e a maioria dos empregados traz marmita e almoça junto – às 14h da tarde, claro!

Estágio

Fazer estágio é bem comum na Espanha e, diferentemente do Brasil, os estagiários costumam trabalhar poucas horas – entre 4 e 6 por dia. Há desde estágios voluntários até aqueles que pagam bem, mas na média os salários são baixos e variam entre 300 e 600 euros. Não é muito, mas pode ser uma boa opção para quem ainda não tem visto de trabalho entrar no mercado de trabalho, como eu comentei nesse post.

trabalhar na espanha

Com as ex-colegas de trabalho!

Fundo de garantia x indenização

Não espere receber o fundo de garantia ao ser demitido porque aqui ele não existe. O que sim acontece quando você é mandado embora é que a empresa te paga uma indenização, calculada de acordo com o seu salário, o motivo da demissão e o seu tempo de trabalho na empresa. As pessoas podem acabar recebendo uma boa grana nessa indenização e, se não estiverem de acordo com o que a empresa vai pagar, podem entrar na justiça para pedir o que consideram justo.

Seguro-desemprego

O seguro-desemprego na Espanha é bem diferente ao do Brasil. Aqui ele pode ser pago por até dois anos e para ter direito  é levado em conta não só o último emprego mas o tempo que se trabalhou durante os últimos seis anos. Esse assunto é bem complicado e rende assunto para outro post.

Visto de trabalho

Para quem não sabe, só tive direito a trabalhar na Espanha porque fiz a união estável com meu então namorado e assim me tornei familiar de comunitário da União Europeia. Até então, eu só pude fazer estágio porque tinha um visto de estudante. Até tentei buscar empregos, com a esperança de que a alguma empresa gostasse do meu perfil e bancasse meu visto de trabalho, mas infelizmente não rolou.

Equipe multicultural: Espanha, Brasil, Itália, França e Inglaterra!

Equipe multicultural: Espanha, Brasil, Itália, França e Inglaterra!

Muitas empresas desistem de um candidato ao saber que ele não tem documentos, ou porque sabem que a burocracia é grande ou por total falta de conhecimento do processo, que pode ser demorado e caro (levando em conta que um imigrante legal ou um espanhol já poderia estar exercendo a função). Se é impossível? Não, não é! Mas é bem difícil e só acontece para profissionais altamente qualificados e demandados, ou seja, para uma mão-de-obra difícil de encontrar aqui.

Start-ups

Não sei se é pelo fato de que aqui é mais fácil abrir uma empresa que no Brasil ou se tem relação com a crise, mas não param de surgir start-ups na Espanha. Só no ano passado aumentou em 25% o número de aberturas de empresas. Olhando de fora, isso é ótimo, mas minha experiência me diz que por trás de muitas start-ups, especialmente aquelas de olho no mercado brasileiro, existe um empresário muito jovem e pouco experiente que acha que vai ser fácil ganhar dinheiro no Brasil devido às dimensões do país, mas que na verdade conhece muito pouco nossa cultura e da nossa forma de fazer negócio. E, o que é pior, que está em busca de resultados imediatos.

Por isso, na hora de te oferecerem um emprego desse tipo é comum que te prometam mil coisas e façam planos enormes, mas o melhor é ter os pés no chão.

Como foi a experiência de vocês?

Related Post

35 Comentários em Como é trabalhar na Espanha?

  1. Me dá esperança na humanidade pessoas concientes e realistas que falam a realidade: aqui é diferente, mas não necessariamente melhor, há alguns benefícios mas não há outros, e não é tão fácil assim como as pessoas pensam “vou para fora do Brasil e arrumo um emprego rapidinho”. Como alguém que também mora e trabalha fora do Brasil, esse post é excelente!

    • Raquel, obrigada! Fico feliz que tenha conseguido ser realista. Realmente não é fácil e há coisas positivas e outras nem tanto. Cabe a cada um avaliar suas necessidades e o que pesa mais nessa balança. Um abraço e sorte onde vc estiver!

  2. Fabiane Polastro // 19/04/2016 em 1:14 am // Responder

    Muito bom , adoro seu blog …..

  3. Muito bom o post! Antes de vir para Madrid com meu marido ano passado buscamos muito essas informações e são ótimas para quem vai vir. Concordo com tudo que você disse, meu marido trabalha aqui e a empresa pagou o visto dele, mas realmente é bem burocrático. Agora sou eu quem está na busca de um trabalho… e posso estar viajando rs, mas as exigências que as empresas fazem aqui as vezes são tão loucas quanto no Brasil, tipo muitos anos de experiência e mil exigências pra um cargo baixo, pouco salário, mil idiomas… também é uma busca difícil! Mas vale tentar né? Beijos.

    • Isabela, obrigada pelo comentário! Realmente, as exigências são muito altas para salários muito baixos, mas não pode desanimar! Boa sorte! 😀

  4. Maravilhoso seu post mini-Poliana!
    Acho que conseguiu deixar muita informação útil, a colocar os pés da galera no chão!
    Para que você saiba, esse ano, na minha empresa, os que são mais amigos gostaram do esquema “festa de aniver” e se juntam para comprar presentes e fazer surpresa! Acho que pelo menos isso eu consegui 🙂

    • Ah, que legal! Na minha ex-empresa também comprávamos presentes, mas porque nos tornamos amigas fora do ambiente de trabalho também. Mas é legal importar uns costumes brasileiros, né? No meu aniversário vou levar brigadeiro!

  5. Diego Rodrigues // 27/04/2016 em 1:34 pm // Responder

    muito bom esse post!
    gostaria de tirar uma duvida.Aqui no brasil existe o PCD ( PESSOA COM DEFICIÊNCIA ) e como seria ai ?
    para conseguir trabalho referente a uma pessoa ter alguma deficiência seria mais difícil?

    • Oi, Diego. Aqui o termo usado é Persona Discapacitada ou Persona con Discapacidad. Infelizmente não sei te dizer se é mais difícil, mas acredito que não porque aqui também existem políticas de inclusão e várias vezes já vi vagas que eram especificamente para esse perfil. Boa sorte!

  6. Larissa,
    Bom dia!

    Adorei o post e tenho interesse em ir para a Espanha para estudar e trabalhar, acabei vacilando e não tirei a minha dupla nacionalidade antes da maioridade, sou neto de espanhóis, e gostaria de saber como anda o mercado aí para brasileiros já graduados e se iniciar uma pós aí, por exemplo, ajudaria!

  7. Oi Larissa!
    Muito bom o seu blog. Acabei de chegar a Madrid e estou lendo todos os posts! Rs…
    Vim a trabalho e, de certa forma, com sorte pois a minha empresa me orientou em todo o procedimento, me concedeu o visto e foi bastante fácil.
    Ainda não posso comentar muito sobre o ambiente de trabalho pois tem apenas 1 dia, mas a primeira impressão foi ótima. Trabalhei antes um tempo em Paris e o que posso dizer é que os espanhóis são mais receptivos. O que achei estranho de cara foi usarem meu primeiro nome para meu cadastro na empresa em vez do último, já que aqui o primeiro nome é o do pai. Vou demorar um pouco a me acostumar! Rs…
    Uma questão que eu fiquei é que, apesar de ter o visto de trabalho e residência, meu namorado e eu estamos pensando em fazer união estável tb, para ficarmos mais confortáveis com a nossa situação futuramente. A gente namora ha 4 anos e ele é espanhol, embora não esteja morando oficialmente aqui (ele está a trabalho nas arábias…). Enfim, um pouquinho complicado. Li que você fez. Você já fez algum post a respeito disso?
    Muito obrigada pelos posts! Continue escrevendo! 🙂

    • Obrigada pelo carinho, Amanda! Espero que o pessoal do trabalho seja legal e que o casamento ou união estável seja fácil de fazer. E que vocês sejam muito felizes, claro!

  8. Eu e a minha namorada temos um sonho de morar fora do Brasil, e em nossas pesquisas gostamos muito de Madrid, e estamos pesquisando a fundo sobre trabalho, moradia, visto, segurança, saúde.
    Gostei muito do que você escreveu.

  9. Bom Dia Larissa.
    Vamos para Madrid com a cara e a coragem em agosto. Meu esposa e filhos têm cidadania espanhola e as coisas se tornaram um tanto dificieis aki pra gente. Nao conhecemos ninguem aí, vc poderia nos dar uma ajudinha hihi.

    • Oi, Carla! Posso tentar ajudar no que eu souber. O mais fácil é mandar as dúvidas que você tem depois de conferir se elas já não estão respondidas aqui no blog. Abs

  10. Ola Larissa! Para tirar o DNI tem de ser na comisaria na Espanha , sendo assim para começar eles podem fazer o contrato de trabalho com o passaporte europeo que eu tenho? Eo o seguridad social?
    Grata
    Mari

  11. Rogério Vilches // 16/06/2016 em 12:51 pm // Responder

    Bom dia! Ótimo o blog! Tenho a nacionalidade espanhola e pretendo mudar aí para a Espanha quando me aposentar do serviço público, dentro de quatro anos, se tudo der certo. Estou viajando anualmente e visitando várias cidades para ter uma ideia de onde morar futuramente. Suas contribuições são muito importantes neste aspecto, muito obrigado! Felicidades!
    Rogério Vilches

  12. Eduardo Moreira // 15/07/2016 em 11:04 pm // Responder

    Oi Larissa, eu (ainda) não comecei a trabalhar na Espanha – mas tenho lido muito seu blog pois eu e a esposa Raquel vamos para aí em Outubro, quando começo a trabalhar “transferido” pela minha empresa. Digo transferido entre aspas pois terei um contrato local e entender as leis daí foram minha preocupação inicial.

    Me chamou à atenção seu comentário sobre a inexistência de fundo de garantia. Pelo que entendi, isto não procede, pois a Espanha conta com algo bem parecido com o nosso FGTS em caso de demissão “improcedente” (ou como chamamos, sem justa causa).

    Nestes casos, o trabalhador, segundo artigo 56 do Estatuto dos Trabalhadores, tem direito a receber 33 dias de salário por ano trabalhado (eram 45 antes da última reforma). Veja que agora com os 33 dias ficou bem parecido com o Brasil, pois é quase os “8%” que temos depositado no FGTS todo mês.

    Óbvio que parecem que existem diferenças (exemplo, você não acumula o dinheiro e pode tirar para comprar uma casa), mas já é ao menos uma indenização…

    • Oi, Eduardo! Você tem razão. Eu disse que não há um fundo de garantia porque ele não existe aqui nos mesmos moldes que no Brasil, de ir acumulando caso você mude de emprego sem ser demitido e que pode ser retirado para a compra de uma residência. Mas realmente quando você é demitido aqui, a empresa te paga essa indenização. Boa sorte no emprego!

  13. muito obrigada por tanta informação!!! muito util, eu e meu marido moramos na espanha ele trabalha em um empresa grande que bancou todos os nossos documento para nos trazer do brasil, faz 1 ano e pouco que estamos aqui! mas queremos voltar para o brasil e eleição pedir demissão! nem imagino quais são nossos direitos! você sabe algo a respeito?? obrigada

  14. Suas dicas são preciosas! Tô sempre de olho! Muito grata!! Em breve estarei aí!
    Besos!!

  15. Joselma fernandes // 17/09/2017 em 4:38 am // Responder

    Eu tenho uma amiga que morou 10 anos aí na Espanha ela tá voltando eu pretendo morar aí eu sou cabeleireira será que eu vou arrumar trabalho ou mesmo trabalhar como cabeleireira obrigada.

    • Oi, Joselma. O complicado é conseguir um documento que te permita trabalhar aqui, porque esse tipo de documento só é concedido a profissionalmente altamente qualificado que estão em falta no mercado de trabalho espanhol. A outra opção é vir ilegalmente, algo que eu não recomendaria. Abs

  16. Joselma fernandes // 17/09/2017 em 4:41 am // Responder

    Espero sua resposta obrigada

  17. Estou querendo ir em 2018 para ir será se eu consigo emprego larissa?

  18. Eu me minha noiva iremos nos casar daqui 1 mês, depois do casamento posso trabalhar ? Ou ainda terei algum dificuldade?

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.