Quatro anos depois de vir morar na Espanha. O que mudou?

Há exatamente quatro anos eu desembarcava no aeroporto de Barajas com duas malas enormes e uma mochila que pesava uma tonelada. Como meu orçamento de estudante não permitia esbanjar, fui de metrô até o hostel onde fiquei hospedada durante alguns dias, até encontrar um apartamento para dividir. Quase desmaiei carregando tanto peso e quando saí da estação, sem fôlego, peguei um táxi que percorreu dois minutos porque eu estava do lado do hostel.

Sempre fui chorona – e continuo sendo – mas não chorei ao me despedir da minha família e do então namorado no aeroporto de São Paulo. Nem eu entendia porque não chorava e eu até poderia mentir dizendo que era porque eu estava segura de que as coisas aqui dariam certo, mas a verdade é que eu estava morrendo de medo e achava que ia dar tudo errado depois da minha experiência frustrada como au pair nos EUA.

O fato é que quatro anos depois, muita coisa mudou. Mas, sem dúvidas, quem mais mudou fui eu. Para quem não sabe vim para fazer um máster e ficar 9 meses. Depois mudei a passagem para ficar 10, depois 12. Na terceira vez já liguei dizendo que não ia voltar mesmo e que ficaria por aqui por um tempo indeterminado.

Os imperdíveis festivais espanhóis

Os imperdíveis festivais espanhóis

Quando vim, não tinha planos de ficar e por isso o meu primeiro ano aqui foi um ano de romance intenso com Madrid. Eu queria aproveitar cada segundo, cada tarde na biblioteca, cada cerveja com os novos amigos, cada conversa, cada estação. Tudo tinha uma intensidade como eu nunca havia experimentado.

Claro que eu também não era cega aos problemas de Madrid. Encarar a burocracia (ainda mais em outro idioma), ver a cidade ficando mais descuidada por conta da crise, ver as pessoas empobrecendo… eu já percebia tudo isso no meu primeiro ano como estudante, mas não dava tanta atenção porque minha estadia era algo passageiro.

Por que alguém se apaixona por Madrid?

Contando minha história como imigrante em Madrid (Foto: Iosu López)

Quando decidi ficar, muita coisa mudou. Eu já namorava um espanhol e tinha amigos espanhóis, mas queria mergulhar ainda mais na cultura, na história e no estilo de vida da Espanha porque agora essa seria a minha casa. E foi aí que eu me deparei com muitos outros desafios: muito mais burocracia, despedida dos amigos do máster que voltaram aos seus países de origem, aumento no preço das matrículas nas universidades e, o que foi mais difícil, encontrar um emprego na Espanha. Diante de tantos “poréns”, eu passei a ver a Espanha com olhos mais reais, como um país com uma crise que afeta a todos e principalmente quem vem de fora.

Tudo isso me fez amadurecer muito. Não foi sempre fácil, pelo contrário, houve muitos momentos de dúvida, choro e medo. E foi aí que eu mudei! Eu passei a valorizar coisas mais simples, eu passei a tentar entender os outros antes de julgar, eu vi o quanto sou privilegiada por poder ter tido acesso a tanta coisa que a maioria das pessoas não teve. Eu aprendi a amar a Espanha mesmo com todos os seus problemas, eu aprendi que nem todo espanhol é grosso e frio, aprendi que fiesta sem botellón não é fiesta e que existe preconceito, mas também existe muita gente disposta a te aceitar de braços abertos. E também aprendi a aceitar de braços abertos fazendo trabalho voluntário com mulheres marroquinas imigrantes. Eu descobri que sempre vai ter uma parte da Espanha e dos espanhóis que não vou entender muito bem e que por isso eu sempre quero continuar aprendendo.

Com blogueiros brasileiros "perdidos" pela Europa. Foto: Pedro, do Viaje com Pedro

Com blogueiros brasileiros “perdidos” pela Europa. Foto: Pedro, do Viaje com Pedro

E o Brasil? Eu aprendi a ver o meu país com outros olhos e a sentir um orgulho enorme de ser brasileira. Aprendi que com o tempo o contato com os amigos diminui, é inevitável… e talvez eu não esteja por dentro do que aconteça na vida deles no dia a dia, mas isso não muda o amor e a importância que temos um para os outros, por isso sempre estaremos presentes, mesmo na distância. Já outros amigos se afastam, mas isso também aconteceria se eu estivesse por perto.

Aprendi que os amigos que a gente faz morando fora se tornam, em questões de meses, pessoas fundamentais na nossa vida e sofremos quando eles vão embora – porque morar em outro país é um ir e vir sem fim de gente.

20140223_122034

Descobri que minha família é louca, mas que viver longe dela é difícil – mas não impossível e a gente aprende a lidar com a saudade. Aprendi que é inevitável perder casamentos, nascimentos e até se despedir daqueles que nos deixam e isso dói muito, mas se a gente não seguir em frente a tendência é cair na depressão.

Por isso eu mudei. Não sou melhor, nem pior, mas certamente mais independente e desapegada. Se a Espanha vai ser o meu lar para sempre, eu não sei, mas é aqui onde moro agora e me sinto feliz por isso. Quem sabe dentro de quatro anos eu volto aqui para contar tudo que continuo aprendendo na terra do Picasso – ou em outro lugar do mundo. Porque morar fora é descobrir que a vida é curta demais para não se arriscar!

À minha família, aos meus amigos do Brasil, da Espanha, da América Latina, ao Juan e sua família, aos colegas de trabalho e a vocês, que me leem e sempre participam do blog de uma maneira carinhosa, MUITO OBRIGADA! Sem vocês, isso não seria possível!

Related Post

18 Comentários em Quatro anos depois de vir morar na Espanha. O que mudou?

  1. Lari, gostei muito do texto. Acho que todo mundo passa pelo mesmo processo. Eu tb tive um caso de amor com Barcelona logo no começo, depois muito odio e hoje muito amor. Tb mudei muito como vc! Que bom que a gente muda, né?

    Um beijo e vida longa na Espanha!

  2. Belo texto, Larissa. Gostei da nova cara do blog.

  3. Parabéns pelo texto. Tenho mulher e filha, tenho cidadania e pretendo mudar p Espanha em breve.
    Lari, concordo c tudo q vc disse. Mas se me permite…. sobre ficar longe d familia, amigos e tudo o mais eh mto dificil msm…. mas nao precisamos estar em outro país p passar por isso. Sou paranaense, e morei por 4 anos no interior do Pará. Era mto caro e demorado p vir ao PR visitar o pessoal. Era mais rapido se eu morasse em Madri doq la no Pará. Mais barato tbem…. demoravamos umas 12h d aviao, entre conexoes e etc… qdo nao perdiamos uma por desorganização das companhias. ..e nao tinhamos o conforto de uma cidade como Madri.
    Meu irmão mora a 400km daqui. Tbem perde casamentos, aniversários, dia das mães etc…. entao oq podemos concluir eh q nossa vida eh feita de escolhas. Se temos familia, amigos por perto, nao temos $$ ou as coisas q queremos… se estamos em outro lugar pelo trabalho, somos felizes profissionalmente mas estamos longe da familia e amigos…… nunca haverá felicidade total…. nem podemos ser tao infantis d achar isso, afinal me parece q a vida eh feita d muita luta e pequenos momentos de felicidade…. por isso a palavra chave eh desapego e olhar p frente e aceitarmos a vida como ela eh sem idealizações. Um leão por dia!
    D qqer forma estamos nos planejando p ir… estou vendo alquiler, homologacion, e trabajos na minha area…. odontologia… grande abs, quem sabe nao nos conheceremos pessoalmente!

    • Oi, Rafael! Estou super de acordo com você. Eu tenho praticado bastante o desapego por aqui e a saudade da família, embora seja difícil, aprendemos a lidar. Espero que seu projeto dê certo! Um abraço

    • Roselaine Bittencourt // 23/06/2017 em 8:05 pm // Responder

      Ola Rafael.Ja esta morando em Espanha? conseguiu a homologaçao da sua profissao(odontologia)?

  4. Muitíssimo obrigadapelo post, e o primeiro que leio , relatando dificuldades mas com possibilidades !!!!
    Valeu !!!
    Agracos

  5. Texto sincero e me fez recordar os cinco anos que vivi em Madri, uma cidade que me encantou. Abraços

  6. Lari sempre leio seus posts e acho bem interessantes, estou no auge dos meus 58 anos e tenho um desejo imenso de ir para Madri, fazer oque ? Não sei, o desejo é tamanho, que chego me emocionar ao pensar, e com as coisas que você compartilha, vou imaginando, me imaginando,olha que louco. Sou Assistente Social e penso, o que poderia fazer ai. Mas enfim, foi bom conhecer um pouquinho da sua estória, você´é uma guerreira. Felicidades ,e forte abraço.

    • Maria Helena! Obrigada! Espero que dê certo sua vinda, nem que seja a turismo, para curtir um pouco essa cidade linda. Um abraço!

  7. Eu já passei pelo aeroporto de Madrid, que por sinal é gigante. Mas,não tive a oportunidade de conhecer a capital espanhola. Será que vale a pena fazer ao menos um turismo nessa cidade? Aguardo por resposta,e já vai desculpando aí alguns erros de português. Ok?

    • Oi, Carlos! Acho que pela quantidade de posts que tem aqui no blog dá para ter uma ideia de tudo que há para ver e fazer em Madrid. Sem dúvida, a cidade vale a pena ser visitada.

  8. Wellington Saldanha // 20/12/2016 em 2:10 pm // Responder

    Lari, tenho vontade de ir morar na Espanha e gostaria de saber se pode me ajudar com algumas dicas.

    Parabéns pelo blog.

  9. Izildinha aparecida chaves Fernandes // 28/02/2017 em 7:59 pm // Responder

    Muito bom esse seu blog. Vc se permitiu ao novo. Buscou conhecer outras culturas e povos. Experiências únicas em sua vida. Parabéns colega. Siga sempre em frente nas suas buscas. ..

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.