Sete anos em Madrid

Exatamente hoje completo sete anos em Madrid. Sete anos se passaram e eu ainda não consigo responder à pergunta que sempre me fazem: por que você é tão apaixonada por essa cidade?

Eu poderia descrever detalhadamente sobre como andar na rua à noite e me sentir segura. Ou como eu adoro não só a gastronomia espanhola, mas a maneira como eles desfrutam dos almoços e jantares juntos, passando horas à mesa. Ou o quanto é gostoso viver as quatro estações do ano, dormir até tarde em um dia frio de inverno, passear pelos parques com as folhas caídas durante o outono ou a alegria que há nas ruas quando o calor chega. Eu poderia falar do quanto é legal trabalhar num lugar em que posso sair mais cedo às sextas-feiras durante o verão, tendo as tardes livre para ir à piscina ou simplesmente dormir a siesta. Aliás, eu poderia passar horas falando da siesta e dos seus benefícios depois de um longo almoço de domingo em família.

Também comentaria sobre o quanto tive sorte em encontrar amigos incríveis aqui, sejam eles brasileiros, espanhóis ou de outras nacionalidades. Não há dúvida de que a balança sempre pesou para o lado positivo nesse quesito. Também falaria do desafio de se relacionar com alguém de outra cultura e do quanto isso faz a gente aprender e crescer (e também do quanto é duro às vezes, como em qualquer relacionamento). Eu falaria dos shows e festivais incríveis que vi aqui e que não teria tido a oportunidade de ver no Brasil. Da chance de ter visto uma palestra de Bauman e ter assistido a Pedro Almodóvar conversar sobre sua obra. Eu também falaria sobre a intensa experiência de fazer trabalho voluntário, ensinando espanhol a mulheres estrangeiras. E, é claro, eu falaria do quanto é bom gastar muito menos para viajar e de como a gente cruza as fronteiras e conhece uma cultura diferente depois de duas horas de voo.

Talvez vocês estejam pensando que a vida aqui é perfeita e a verdade é que os blogs e as redes sociais ajudam a criar essa falsa idea, porque é óbvio que nem tudo é bom sempre. Nesses sete anos, também houve maus momentos. Eu poderia falar do quanto foi duro não poder me despedir da minha bisavó ou do meu cachorro. Do triste que é não estar perto da nossa família nessa hora para apoiá-la. Do aperto que dá saber que está todo mundo no churrasco da família enquanto você está aqui. De ver os amigos casarem, terem bebê ou passarem por maus bocados e você não poder estar perto. Do quanto é duro se posicionar no mercado de trabalho e dos vários empregos que tive nesses sete anos até conseguir me estabilizar profissionalmente. Eu poderia falar do quanto foi duro terminar um relacionamento que era minha base nesse país e da solidão e do medo que a gente sente ao se ver “sozinho” ou, pelo menos, sem os nossos amigos de sempre ou a nossa “casa”.

Tudo aquilo que é positivo pesou para eu ficar aqui? Claro! Tudo que é negativo me fez pensar em voltar? Na verdade, por enquanto, ainda não, mas é totalmente compreensível que alguém pense ou volte por esses motivos.

Então por que eu fiquei? Por que eu amo tanto Madrid? Eu continuo buscando uma resposta fácil, mas, por enquanto, eu só tenho uma bem subjetiva: porque eu nunca me senti tão bem comigo mesma quanto em Madrid. Porque aqui eu me encontrei! O motivo? Quem sabe eu descubro nos próximos sete anos… seja aqui, seja aí, seja em qualquer lugar…

Related Post

9 Comentários em Sete anos em Madrid

  1. Maria Alice Moreira Silva // 26/09/2018 em 5:32 pm // Responder

    Emocionante!! Estou aqui há 30 dias, turista, mas não tenho vontade de iir embora!! Queria ficar para sempre aqui em Madrid!
    Quen sabe!

  2. Olá Larissa! Você transmite muita emoção nas palavras escritas… não sei se consegue me compreender, mas sabe quando você tem certeza que precisa viver uma experiência fora do seu país? Desde de menina sinto isso… venho estudando astrologia e entendi muito sobre esse sentimento tão vivo e presente em mim. Pretendo conhecer a Espanha, esse país me atrai! Gostaria de trocar experiências e fazer algumas perguntas (claro! rsrs). A situação por aqui não anda bem, cá entre nós, nunca estive né? =/ Sei que a Espanha também não passa por um momento econômico favorável, mas ainda assim tenho interesse no país, quem sabe até morar por tempo…
    Para emprego, li algumas postagens suas aqui… mas não consegui um direcionamento. O que me diz sobre a área de estética, por aí? Estou querendo mudar de área, aqui está muito penoso… sou professora, com mestrado em Biologia, mas ainda assim não é o suficiente para um emprego digno, fora as condições de trabalho desgastante e perigosa…

    Aguardo seu retorno,

    Grata por ter a oportunidade de trocar vivências por aqui…

    Raiany.

    • Oi, Raiany. Sempre digo que a experiência de cada um aqui é bem diferente, assim como as expectativas e de onde viemos, por isso perguntas pessoais (os bons e velhos conselhos) são sempre complicados de responder. Não conheço a área de estética a fundo, por isso não posso te dizer. E tem a questão do visto de trabalho… sem visto, é bem difícil em qualquer área, já com documento a coisa fica um pouco mais fácil. Um abraço e boa sorte!

      • Claro… entendo perfeitamente! Se conselho fosse bom né? Rsrs. Na verdade era só para trocar ideia mesmo! Tenho cidadania e passaporte italiano. Acredito que ajuda muito! Vou pesquisar as oportunidades e ler mais suas postagens aqui! Amei sua vibe! 😘✨✨✨

  3. Raiany Gusso Machado // 12/10/2018 em 3:38 pm // Responder

    Olá Larrisa! Acredito que removi meu comentário anterior. rsrs
    Não sei utilizar blog direito.

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.