Doces de Natal típicos na Europa

Cada país do mundo tem suas tradições de final de ano e muitas delas estão relacionadas à gastronomia. No Brasil, por exemplo, é inevitável pensar no peru e até em outros pratos que foram levados pelos imigrantes, como as lentinhas do Ano Novo. Na Espanha, também há muitos costumes ligados à alimentação e hoje conto para vocês sobre alguns doces de Natal típicos daqui e de outros países da Europa.

Doces típicos de Natal

Para alguns deles, contei com a ajuda da minha irmã e de amigas blogueiras que vivem/são de outros países europeu. O resultado é, obviamente, delicioso! E quem acha que um doce é só um doce é porque não imagina o quanto a gastronomia fala da cultura e da história de um país.

Por isso, vamos aos doces típicos de Natal e Fim de Ano de 7 países europeus! Lembrando que muitos deles têm tradições que variam de acordo com a região do país.

Espanha

Por aqui, os doces de final de ano são obrigatórios nas ceias de Natal e Ano Novo – e também no Dia de Reis! O mais comum é o “Roscón de Reyes” (Rosca de Reis), que nada mais é do que uma rosca recheada com um creme como o chantilly, mas mais espesso, que é comido no dia 06 de janeiro. No Natal e Ano Novo é comum comer polvorones (parecidos com paçoca), torrones (moles e duros), peladilla (amêndoa coberta com açúcar e doces de marzipã – um doce bem típico de Toledo.

Mazapán (marzipã), doce típico de Toledo

Mazapán (marzipã), doce típico de Toledo

Não sou muito formiguinha, mas adoro os polvorones, torrones  e peladilla! Nesse outro post, comentei sobre outras tradições dessa época festiva.

doces de natal espanha 2

Portugal – por Susana, do blog Desbravando Madrid

Apesar de viver em Madrid, hoje falo sobre os doces típicos de Braga, no norte de Portugal, a minha cidade natal.

Como em todos os lados, as tradições variam de casa para casa, mas acho que por aqui todas as casas têm na mesa, pelo menos, 4 doces típicos: aletria, rabanadas, mexidos (ou formigos) e bolo-rei.

O bolo-rei é o bolo típico em, praticamente, todos os países, apesar de cada um lhe dar um nome diferente. O típico português é feito com muitos frutos secos e frutas cristalizadas. Quando eu era criança ainda era costume meter um presente e uma fava dentro do bolo-rei (quem apanhava a fava teria de comprar o bolo do ano seguinte), mas por questões de higiene, essa tradição foi proibida.

Doces típicos de Natal do norte de Portugal (foto. Susana Almeida)

Doces típicos de Natal do norte de Portugal (foto. Susana Almeida)

Ao contrário do bolo-rei, que é comprado, os outros 3 doces são confeccionados em casa e têm a característica de serem feitos com os ingredientes mais básicos e baratos do dia-a-dia. Segundo a minha tia e mãe, é exactamente no seio das famílias mais pobres que surgiram estes pratos: para as rabanadas as pessoas utilizavam as fatias de pão duro, molhavam em leite com açúcar e canela, passavam por ovo e fritavam; os mexidos eram feitos também com os restos de pão duro que encontravam, um pouco de açúcar e canela e frutos secos que tinham por casa; a aletria era feita com massa cozida misturada com ovos, leite e açúcar.

Itália – pela Magê, do blog Milão nas Mãos

O panettone que conhecemos no Brasil é um doce típico natalino de Milão. A lenda conta que ele nasceu no século 15, na corte da família ducal milanesa, os Sforza, quando a sobremesa para um jantar na corte tinha queimado e tudo o que os confeiteiros tinham na dispensa era: farinha, manteiga, ovos e uva passa.

O nome do confeiteiro criativo? Toni. Nascia assim o pan di toni…panettone.

Foto: N I C O L A Creative Commons

Foto: N I C O L A Creative Commons

Os industrializados têm de tudo: chocotone, com frutas exóticas… mas quando se fala Panettone di Milano é o tradicional. As confeitarias famosas aqui só fazem o tradicional, que custa cerca de 30 euros.

Holanda – pela minha irmã, que mora lá!

O oliebollen (a tradução seria literalmente bola de óleo) é uma uma comida tradicional do Natal da Holanda. O doce consiste de uma massa frita, que pode ser recheada com uvas passas e acompanhada com açúcar de confeiteiro e é tipicamente vendido em food trucks sazonais espalhados pela cidade. Eles lembram os tradicionais bolinhos de chuvas, mas a massa é mais pesada e menos doce.

Foto: Misty Creative Commons

Foto: Misty Creative Commons

Cadao Oliebollen custa, em média, 1 euro. Você também pode fazer em casa, usando a massa pré-pronta ou fazendo tudo do princípio.

Alemanha

Na Alemanha, o principal doce dessa época do ano é o Stollen, que lembra um pouco o Panettone, mas é mais pesado. Os dois, no entanto, podem ser feitos com passas, mas o Stollen também leva frutos secos e tem um formato mais achatado e comprido, lembrando um pão. Por cima, ele tem uma camada de açúcar de confeiteiro polvilhado, o que garante o sabor mais doce.

Foto: Alexandre Duret-Lutz Creative Commons

Foto: Alexandre Duret-Lutz Creative Commons

Inglaterra

Assim como o Stollen, o doce típico da Inglaterra de final de ano também é bem consistente, o que faz sentido já que nessa época faz muito frio. O doce inglês é o Christmas Pudding e cada família tem sua própria receita, mas ele sempre costuma ter frutos secos. Para deixar o bolo molhadinho, ele leva um pouco de brandy, suco de frutas ou até cerveja escura.

Foto: UpSticksNGo Crew

Foto: UpSticksNGo Crew

Se você quiser saber tudo que pode fazer no Natal aqui em Madrid nesse ano, confira esse post, mas se o que você procura é sugestão de baladas/jantar para o Reveillon, não perca minhas dicas aqui. E, como sempre, sinta-se à vontade para comentar ou até sugerir outros doces que você gosta.

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.