Saúde pública na Espanha: como funciona na prática?

Comentei em outro post sobre quem tem direito à saúde pública na Espanha e agora volto a falar sobre esse assunto para comentar um pouco da minha experiência como usuária desse serviço.

Durante meus primeiros anos na Espanha, eu tinha um visto de estudante que tem, como uma das exigências para ser concedido, a contratação de um seguro médico particular. Quando vim, contratei um seguro-médico no Brasil desses especializados em atender quem mora fora de maneira temporária, e depois de uns dois anos contratei um seguro médico particular aqui na Espanha.

saude publica espanha

O primeiro, eu não usei nenhuma vez, portanto, não posso falar da qualidade do serviço. Já o segundo usei duas vezes (além do dentista, que estava incluído). Contratei o seguro da Catalana Occidente e achei o serviço bom: rápido e fácil para marcar consultas, pude fazer exames médicos básicos sem problemas e também a limpeza de dentes.

Quando tirei meu documento de familiar de cidadão comunitário da União Europeia (por ter feito união estável com meu namorado), pude ter acesso à saúde pública e fiquei na dúvida sobre manter ou não o seguro privado. Consultando amigos, a resposta foi fácil: não valia a pena. A saúde pública espanhola é boa, muitas vezes considerada melhor que a privada, tanto que grande parte dos espanhóis não tem plano de saúde, mesmo quando tem condições financeiras.

Então por que algumas pessoas contratam a saúde privada? Porque ela oferece mais comodidades, como quarto privado em uma internação, por exemplo.

Comecei a pensar nisso depois que recebi uma visita de uma amiga do Brasil e ela me perguntou: “e aí, você já tem SEU ginecologista, SEU dermatologista?” E eu fiquei sem saber o que dizer e percebi que no Brasil, para a classe média que tem plano de saúde (como eu sempre tive), o serviço de saúde é como uma mercadoria. Compramos e queremos um serviço bom – o que é justo, mas nem sempre temos. O problema é que esquecemos que também pagamos pela saúde pública através dos nossos impostos.

saude publica espanha

Não estou dizendo que isso seja errado, mas aqui é bem diferente e gosto da maneira como funciona. A saúde pública na Espanha é bem-vista e os espanhóis lutam por ela. Desde que cheguei, houve diversas manifestações porque, com a crise, houve uma tentativa de privatização, mas a pressão pública foi tanta que o governo (pelo menos o da Comunidad de Madrid) voltou atrás na decisão.

Então como funciona? É simples! Cada pessoa tem um cartão de saúde e, na parte de trás, vai aparecer o nome do seu médico de família (clínico geral). Quando você quiser marcar uma consulta, basta ligar e marcar (o atendimento é eletrônico) e você passará por uma consulta com esse médico. Nessa consulta, o médico costuma ser rápido e direto – não espere excesso de simpatia ou bate-papo. Ele vai avaliar se o caso precisa da avaliação de um especialista e, nesse caso, te encaminha ao especialista, ou seja, você nunca marca diretamente uma consulta com um ortopedista, por exemplo, porque sempre tem que passar antes pelo seu médico de família.

saude publica na espanha

Para emergências,  você pode ir ao posto de saúde mais próximo à sua casa. Fui apenas uma vez e o atendimento foi relativamente rápido (uns 30 minutos de espera) e passamos com o clínico geral. Como era apenas uma virose, ele examinou e passou o remédio. Caso seja de madrugada e o posto esteja fechado, você teria que ir até o hospital mais próximo.

Uma das coisas mais interessantes é que os remédios são subsidiados pelo governo, por isso se você for na farmácia sem a receita, você vai pagar mais caro por ele. O sistema é bastante moderno e, da última vez que fui ao médico, ele me receitou um remédio, mas não havia receita física: bastava eu ir até a farmácia (qualquer uma da Comunidad de Madrid) com o meu cartão de saúde, eles passavam o cartão pelo código de barras e já liam o remédio receitado e me vendiam com o correspondente desconto. O médico pode, inclusive, colocar a quantidade de caixas que a pessoa pode comprar – o que é ótimo porque assim não precisa ficar guardando a receita por meses.

Confiram a opinião da minha amiga Suz Paquete, que escreve o blog That Good Trip e mora na Espanha há mais de 10 anos – e que usa os serviços de saúde com certa frequência:

“Para mim a saúde pública na Espanha é excelente. Os hospitais são organizados, limpos e, apesar de agora poder escolher, você é encaminhado a usar um hospital e um médico de cabeceira que fiquem perto da sua casa. Esse médico faz a triagem inicial do seu problema e te deriva a especialistas conforme o caso. Tudo é tratado com a rapidez necessária, ou seja, se seus sintomas forem urgentes, você tem atendimento prioritário. E tudo isso sem ter que desembolsar um centavo a mais, apenas os impostos que já pagamos. De ruim apenas destaco que, ao ser um serviço público, os médicos são rápidos e rasteiros, não têm tempo pra ouvir toda a sua história como acontece com o sistema privado no Brasil. E há exames com critérios diferentes ao que estamos acostumados, por exemplo a citologia do útero (o famoso Papanicolau) aqui só se faz a cada 3 anos, sendo que no Brasil é a cada ano. Mas se você tiver algum sintoma e insistir, você consegue fazer o exame em menos tempo”.

Também compartilho outras duas experiências de brasileiras com o sistema de saúde espanhol: a Juliana teve o seu bebê pelo sistema público, e a Paula, pelo sistema privado. Não deixem de ler  se pensam em ter seus filhotes por aqui!

E vocês? Tem uma história diferente para contar?

24 Comentários em Saúde pública na Espanha: como funciona na prática?

  1. Muito bom conhecer/saber como funciona os sistema de saúde em outros países; mesmo nao morando.
    Bom, eu também estranharia a tal rapidez dos médicos (nao estamos acostumados) hoje mesmo comentei sobre isso.
    Muito bom também o comentário da Suz Paquete.
    Uma coisa que ficaria tensa: Exame do Papanicolau só de 3 em 3anos. O meu tem que ser anual por conta de histórico familiar.
    Grata pelas informaçoes.

    • Oi, Ilma! Na verdade, se você comenta com o médico que tem um histórico familiar, ele reduz esse intervalo. E se, por algum motivo, você não gostar do médico, você pode mudar. Um abraço e obrigada pelo comentário!

  2. Larissa boa noite !!! Adorei seu blog ….!

  3. Bom dia!
    Prezada Larissa,sou professora e enfermeira,pretendo viajar para Madri a passeio mês de janeiro.
    No entanto gostaria muito de ter a oportunidade de conversar com profissionais da área da saúde a respeito da saúde pública na Espanha.
    Ter a oportunidade de conhecer novas tecnologias na área da saúde.
    Você poderia me dar algumas dicas sobre este assunto?
    Por onde devo começar?
    Atte.,
    Maria ILdete

    • Oi, Maria Ildete. Não posso dizer com certeza, porque não conheço esse setor, mas o que me parece uma possibilidade de troca de informações profissionais é participar de um congresso ou evento do tipo, ou entrar em contato com alguma associação, como a Anecorm: http://www.anecorm.org/.

  4. Maria C R Barros // 16/10/2016 em 6:17 pm // Responder

    Larissa, muito úteis suas informaçoes. Estou me aposentando e ir morar em algum país da europa, de preferencia mais ao sul. Sol. Analisei a saude de alguns países e minha dúvida nao existe mais. Opto pela Espanha. Alem de um sistema de saude publica muito bom, o custo de viver aí parece um pouco menor que em outros países. pais belissimo, cultura diversificada e nao cara. Festas e alegria estao presentes. Respeito e segurança também. E viajar para outros paises europeus tambem é fácil. Sol, mar e montanha a escolher. Parabéns pelo seu blog.

    • Oi, Maria! Fico feliz que o blog tenha te ajudado na sua pesquisa. Espero que fique feliz com a decisão de vir pra cá. Seria ótimo ouvir sua opinião depois de um tempinho aqui. Um abraço carinhoso!

  5. Oi, Larissa! Tudo bem? Parabéns pelo blog, muito legal.
    Seguinte, vou estudar na Espanha por 6 meses e tenho nacionalidade italiana. Para fazer o Registro de Cidadão da União Europeia no país, um dos requisitos é justamente portar um seguro de saúde e declaração de que possuo recursos suficientes para o período de estudo. Quais os documentos que necessito para retirar a tarjeta sanitaria? Ela é feita na Espanha mesmo? E no tocante à declaração de recursos, você sabe como é feita?
    Muito obrigado pela ajuda. Abraço!

  6. Oi larissa, tudo bem? Sabes dizer se na saúde privada da espanha tambem tens que passar por um médico de familia? Ou podes ir a um especilista direto? Tipo ir direto a um dermatologista ou ginecologista, por exemplo?

  7. Olá Larissa! Tenho uma dúvida. Morando aí e com a cidadania em mãos, tenho acesso a tratamentos de reprodução humana de forma gratuita? Existe essa possibilidade aino na Espanha?

    • Oi, Fernanda! Esse é um assunto que desconheço completamente. Acho que no site do governo da região onde você vai morar você pode encontrar informações a respeito.

  8. Olá Larissa!!
    Muito interessante o tema tratado, em relação a saúde pública e privada. E necessitando de internação, como funciona o acesso a leito de UTI?
    Grata!

    • Oi, Adriana. Acho que tudo depende um pouco da região onde você está. A avó do meu ex esteve internada durante cerca de uma semana e esteve na UTI (pelo sistema público). Aparentemente não houve nenhuma dificuldade, mas não sei se entendi muito bem sua pergunta. Abs!

  9. Olá Larissa. Eu estou indo para fazer um mestrado de 9 meses na UCM em Setembro(agradeço as dicas do seu blog, tudo começou lendo aqui!!). Tenho cidadania italiana, mas minha esposa não. Pensei em chegar aí, pedir minha NIE e depois pedir a “tarjeta” para cônjuges de cidadãos da UE para minha esposa. Porém, vi que um requisito para ter a NIE é ter um seguro de saúde privado, daí achei estranho a sua informação de que em um dado momento você poderia escolher entre pública ou privada… Outro problema é que é necessário apresentar o seguro-privado já sem as carências, que sãod e 6 meses… Será que estou enganado?

  10. OI Larissa, vc pode indicar qual seguro contratou aqui do Brasil? Sei que vc disse que não usou e não pode avaliar, mas estou nessa situação e não sei a qual recorrer. Obrigada

1 Trackbacks & Pingbacks

  1. As melhores regiões da Espanha para morar -

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.