Os países europeus são mesmo todos iguais?

Quando ouço as pessoas falarem mal do Brasil e usarem a seguinte expressão: “aí na Europa é tudo diferente e tudo funciona, não é?”, morro de vontade de perguntar de onde elas tiraram a ideia de que os países europeus são todos iguais e que tudo é perfeito. Na verdade, até descobri que os espanhóis sofrem da mesma síndrome de vira-lata que muitos brasileiros e já os ouvi várias vezes dizer que “no norte da Europa sim que as coisas funcionam”.

Depois que conheci a Adriana, uma jornalista brasileira que mora na Finlândia, percebi que há tantas diferenças entre os países europeus que foi irresistível escrever esse post e, para isso, contei com a colaboração dela. Nesse post faremos uma comparação das nossas visões e opiniões sobre os dois países, eu falando da Espanha e ela, da Finlândia.

Adriana em Helsinki

Clima

Madrid é uma cidade com estações definidas e um clima bastante seco durante grande parte do ano. O verão é extremamente quente e as temperaturas podem chegar aos 40 graus! Já o outono e a primavera têm clima ameno e temperaturas agradáveis, enquanto no inverno faz frio, mas bastante tolerável. Quase nunca neva na cidade e, com um bom casaco, um par de luvas e um cachecol é possível passear por Madrid mesmo nos dias de inverno.

Parque do Retiro no verão

A Finlândia é conhecida por suas temperaturas extremamente baixas e não é por menos, em alguns lugares ao norte, no inverno podemos ter muito vento, neve e os termômetro passando dos -30 graus. Essa também é uma época em que quase o sol não aparece por aqui. Em novembro de 2014 foi registrado em Helsinki apenas 12h de sol durante o mês de Novembro inteiro! No outono e primavera ainda está bem frio e pode nevar bastante ainda e essas épocas são bem marcadas: na primeira todas as folhas das árvores caem, sobrando apenas os pinheiros, já na segunda vemos flores e folhas nascendo novamente. O verão é bem ameno, com muita luz e claridade (o famoso “sol da meia noite”) temperaturas na casa dos 20 a 25 graus.

Apesar do clima diferente, o visual do outono na Finlândia se parece com o Madrid…

… já o inverno é bem diferente!

Gastronomia

Se tem algo que dá fama à Espanha é a comida. A cozinha espanhola é famosa no mundo inteiro, tanto os pratos do dia a dia quanto a alta gastronomia. Acostumar-se a comer paella, gazpacho, tortilla e cocido é fácil, mas deixar de lado o arroz e ter o costume de almoçar às 14 horas e jantar às 21 horas pode ser complicado. No geral, acho que a maioria dos brasileiros que vêm morar na Espanha sente falta da comida brasileira, mas se adapta bem. Além disso, encontrar produtos e restaurantes brasileiros é relativamente fácil. O que há em comum entre os dois países é o gosto por comer e o fato de que esse é um momento social: os espanhóis também adoram almoçar/jantar em família ou com amigos e podem passar horas numa mesa de restaurante.

Se a Espanha é conhecida por sua gastronomia, não se pode dizer o mesmo da Finlândia, onde o prato mais típico é a sopa de salmão e seus inúmeros pães de centeio  (geralmente receitas de família). Como o clima aqui é bem duro, poucos alimentos podem ser plantados, logo tudo é importado. Outra comida típica é o karjalapiirakka, um tipo de pão com recheio de arroz. Uma peculiaridade daqui é o famoso salmiakki, uma doce com sabor que vem do cloreto de amônio com alcaçus para dar uma suavizada. Já os horários das refeições são bem diferentes da Espanha: em geral o almoço é entre 11h00 e 11h30 e a janta nunca depois das 18h. Com certeza os brasileiros que vem morar na Finlândia sentem muita falta da nossa diversidade de frutas e legumes, mas com o tempo conseguem se acostumar.

Pão de arroz

Salmiakki

Lazer

Para os madrileños, a vida social e o lazer estão relacionados à vida fora de casa. Claro que o clima influencia muito, mas no geral o madrileño adora sair com os amigos para tomar uma cerveja, “irse de tapas”, jantar, fazer picnic, etc. Se divertir gastando pouco é possível em Madrid, já que sempre há shows, exposições, palestras, filmes grátis rolando na cidade. E o melhor: há planos para todas as idades.

Festival BBK

A maior diversão do finlandês é fazer sauna, a qualquer hora e época do ano. Em alguns casos é considerado falta de educação você recusar um convite para fazer sauna. Já o lazer em geral é dividido entre verão/inverno. Quando a temperatura está mais amena os finlandeses adoram ficar nas ruas até tarde, fazer picnic, beber nos bares, passear de barco… No inverno a história muda, a maior diversão é dentro de qualquer lugar quente e bebendo uma grande cerveja.  Uma curiosidade: aqui existe uma tradição chamada kalsarikännit, que é  ficar bêbado sozinho em casa —sem intenção  de sair — vestindo apenas suas roupas de baixo.

Sauna finlandesa

Segurança

Aqui é onde reside uma diferença fundamental que afeta outros pontos da vida em Madrid. A capital espanhola é relativamente segura: não é comum ver casos de assaltos com violência, muito menos sequestros ou assassinatos, mas os furtos infelizmente são comuns. No entanto, existe no geral uma sensação de segurança que permite sair à noite sem ficar grilado o tempo todo. Voltar depois da balada caminhando é algo que já fiz várias vezes sem problemas.

Segurança é um dos pontos positivos – voltar da balada a pé é muito bom!

Ah, a segurança… Um tema que está sempre em voga no Brasil e que nos acostumamos a viver praticamente sem. A Finlândia é um país extremamente seguro e honesto. Aqui podemos andar nas ruas a qualquer hora sem medo da própria sombra. Como no inverno a maior parte do tempo é bem escura, não há problemas e nem receios de andar sozinha na escuridão, não é preciso ter a preocupação se alguém vai mexer com você. Um dado interessante sobre a segurança aqui: polícia raramente usa armas nas ocorrências e uma estatística recente apontou que eles chegam a atirar apenas 10 vezes por ano em média e em apenas casos extremamente necessários. Esse dado mostra como a Finlândia não tem índices de violência.

Como há muitos pontos para abordar, em breve vai rolar outro post com mais aspectos da vida nos dois países.

Para concluir

Em  2018 a ONU divulgou o ranking dos países mais felizes do mundo e a Finlândia ficou em primeiro lugar. Uma incongruência para quem mora aqui, pois o finlandês é  um povo mais depressivo e que sofre muito com o alcoolismo. Olhando a pesquisa mais detalhadamente essa “felicidade” é medida pela satisfação dos cidadãos em relação à saúde, educação, menos corrupção… E realmente os números daqui impressionam, mas isso não significa que as pessoas não tenham problemas e não passem por dificuldades. Neste mesmo estudo, o Brasil aparece em 28º lugar e a Espanha em 36º.

O que vocês acham?

Related Post

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.