10 dicas para se planejar para o Caminho de Santiago

Você já pensou em fazer o Caminho de Santiago, mas tem um montão de dúvidas e não sabe para quem perguntar? Problema solucionado! Minha amiga Suz, do blog That Good Trip, já fez o Caminho várias vezes, saindo de diversos lugares, com diferentes durações, sozinha e acompanhada… enfim, ela tem MUITA experiência e nesse post vai dar 10 dicas para se planejar para o Caminho de Santiago.

Como vocês vão ver nesse post, ao contrário do que muita gente pensa, o Caminho não é uma missão impossível, mas requer preparação para ter uma viagem agradável e tranquila. Suz, muito obrigada pelo post! Sem dúvida, usarei essas e outras dicas tuas na hora de fazer o Caminho. Com vocês, o texto da Suz!

Fazer o Caminho de Santiago  é uma decisão ao mesmo tempo maravilhosa e complexa. Há várias etapas de planejamento que você deve seguir à risca para que o seu projeto se torne realidade e que você aproveite ao máximo os seus dias no Campo de Estrelas.

Outra coisa importante é que você pode caminhar quantos dias quiser, desde 1 ou 2 dias até 40 ou 3 meses. Tudo é válido e você não vai ser menos peregrino por caminhar menos dias. Porém, se quiser garantir o diploma escrito em latim certificando que você fez o Caminho, vai precisar caminhar pelo menos os 100 últimos quilômetros a partir da cidade de Sarria, na Galícia, ou optar pelo Caminho Inglês, desde Ferrol ou pelo Português, que começa no Porto (Portugal).

Veja a seguir os itens que você precisa organizar antes de começar a sua jornada. Bom Caminho!

Clima

Saber a temperatura média no mês que você pretende ir ao Caminho é muito importante, já que as estações do ano na Europa são o contrário do Brasil. Os melhores meses para fazer a peregrinação são maio (primavera) e setembro (outono), porque o clima é bastante agradável, não faz muito frio nem muito calor. Mas todos os futuros peregrinos já descobriram isso e o resultado é um Caminho lotado de pessoas. Então eu diria que a partir de abril, até final de outubro, são boas épocas (ainda que faça frio, há bastante sol). Meu mês preferido é junho: faz calor, mas não aquele calor sufocante de julho e agosto, que em teoria devem ser evitados, mais pela quantidade de pessoas que por outra coisa. Foi num mês de junho que comecei meu Caminho Francês e terminei no começo de julho, depois de 36 maravilhosos dias.

Treinamento

É fundamental treinar antes de ir, principalmente se você não está acostumado a fazer longas caminhadas em terrenos irregulares. O Caminho de Santiago não é difícil, mas há subidas bastante íngremes, ou seja, não é para amadores. Se você fizer caminhadas de uma hora, de 3 a 4 vezes por semana (fazendo uma mais longa, de 2 horas em ritmo bem rápido no fim de semana), já ajuda. Isso nada mais é que começar a dar ritmo ao seu corpo, fazê-lo se acostumar ao movimento, ao exercício, e também à bota e à mochila. Muita gente treina com a mochila que vai levar cheia de sacos de arroz ou qualquer coisa que pese o equivalente a 7 quilos. Dá pra ir sem treinar? Dá, mas seu corpo vai sofrer um pouco na primeira semana até se acostumar. Eu sempre digo que, quanto mais você treinar antes, mais fácil vai ser na hora.

Calçado

A dúvida cruel de todo peregrino de primeiro Caminho é se é melhor caminhar com bota, tênis ou sandália de trekking? Essa escolha é muito pessoal e subjetiva. Eu me adaptei à bota porque meu tornozelo torce com muita frequência nos terrenos montanhosos, e a bota segura ele firme e evita problemas. Uso uma bota leve da Salomon e recomendo essa marca, inclusive para tênis. Se for usar tênis, que tenha bastante amortecimento, como os de trail running, que é o modelo das pessoas que fazem corrida de aventura em montanhas. A Salomon também é a marca que mais vejo no caso dos tênis. E a papete? Tem gente que leva a papete e usa quando a bota ou o tênis estiverem machucando muito. O problema é que entra pedrinha o tempo todo, mas é um bom plano B. Só não vá pro Caminho com aquele tênis bonito, de cidade, porque já vi gente machucando o joelho pela falta de amortecimento e tendo que fazer etapas de ônibus pra aguentar. O mais importante é que o calçado esteja bem amaciado e usado antes de iniciar a peregrinação.

Roupa

Prefira camisetas técnicas, essas super leves e com tecido de secagem rápida, porque o peso e a rapidez de secagem (você vai lavar roupa todos os dias) contam muito. Você pode encontrá-las em qualquer loja de esportes, como a famosa Decathlon, que tem camisetas boas e baratas. A calça também deve ser dessas de montanha (deixe o jeans em casa!), se possível com um zíper para transformá-la em bermuda nos dias mais quentes. As meias devem ter uma tecnologia anti-bolhas, como a Cool Max, ou as da Decathlon próprias para longas caminhadas. Que quantidade levar? 3 camisetas (sendo uma pra dormir, uma para caminhar e outra caso uma não seque a tempo), 2 calças (sendo uma para caminhar e outra para dormir, que pode ser usada depois que você toma banho ou caso a outra não seque), 2 ou 3 pares de meia (mesmo raciocínio sobre a secagem). 2 tops para as mulheres e 3 calcinhas ou cuecas.

Mochila

Deve ter, no máximo, 40 litros de capacidade. Já com esse tamanho vai sobrar espaço, mas assim não vai tudo apertado dentro dela.  Ela deve pesar 10% do seu próprio peso, pra não te machucar. Parece pouco mas você só vai levar o essencial: saco de dormir, capa de chuva, itens de higiene em frascos pequenos, protetor solar, lanterna de cabeça, papel higiênico, barrinha de cereal ou frutos secos para aquele dia, toalha de secagem rápida, medicamento, garrafa ou bolsa de água, chinelo ou papete e suas roupas. O importante é que ela tenha uma barrigueira, que é a tira que vai em volta da cintura e, se bem ajustada, suportará todo o peso da mochila, liberando seus ombros. Prove antes de comprar, peça referências, não precisa ser de marca importada, a minha é a Decatlhon e já foi a 7 caminhos comigo e estou bem contente com ela.

Comida

A maioria dos albergues tem cozinha, então o que muita gente faz é formar grupos, comprar comida no mercado da cidade e cozinhar juntos. Se não quiser cozinhar ou está muito cansado pra isso, todos os restaurantes da cidade oferecem menus a 10 euros com entrada, prato principal, sobremesa, bebida e pão, o chamado Menu do Peregrino. É uma refeição e tanto! Durante o caminho você pode parar nos bares pra comer um sanduíche ou prepará-lo no dia anterior. Pode também comprar, diariamente, uma banana (pra não pesar), que ajuda a prevenir câimbras e alimenta, ou alguma outra fruta, barra de cereal, biscoito, frutos secos. Mas não leve mantimento para todo o mês dentro da mochila! O Caminho Francês e outros caminhos têm estrutura, pelo menos nas cidades por onde ele passa.

Medicamentos

Leve o mínimo necessário e lembre-se que nas cidades há farmácias com tudo o que você possa precisar (bandaid, remédio pra dor de cabeça, pomadas que aliviam a dor, etc). Tirando aqueles remédios que só são vendidos com receita (que você deve trazer, incluindo uma receita extra), o resto você encontra aqui.

Albergues

albergues em todo o percurso do Caminho de Santiago. Os públicos e paroquiais não admitem reservas: funcionam por ordem de chegada. Os privados podem ser reservados. Os públicos são equipados com beliches, banheiro, cozinha, muitos têm um tanque e área para pendurar as roupas, e até máquinas de lavar e secar roupas. Eles custam em média 6 euros. Os paroquiais são por doação e muitos incluem jantar comunitário e café da manhã (mas lembre-se que eles só estão abertos e oferecem tudo isso porque os peregrinos do dia anterior deixaram sua contribuição; “doar” 5 euros ou mais não custa muito e ajuda a mantê-los abertos). E os privados custam entre 10 e 15 euros, também com beliches (e, em alguns casos, camas baixas) e toda a estrutura de banheiros e  máquinas de lavar e secar roupa. E também tem albergues brasileiros <3

Cidades

O Caminho Francês de Santiago passa por cidades grandes, como Pamplona, Burgos e León, e algumas pessoas tiram um dia livre para descansar e conhecê-las melhor. Na maior parte do tempo você vai passando por vilarejos, fazendas, plantações de uva, e até se surpreende com toda a riqueza arquitetônica desses lugares. Às vezes você está literalmente no meio do nada, o que é bacana porque, sem muito o que visitar, você acaba estreitando os laços de amizade com os demais peregrinos.

Dinheiro

Durante todo o percurso há caixas eletrônicos, por isso leve pouco dinheiro e vá sacando a cada 5 dias por exemplo. Assim você não se preocupa por estar levando uma enorme quantidade e evita problemas como roubos que, infelizmente, podem acontecer. Leve seu dinheiro com seus pertences importantes como celular e câmera sempre com você, até para tomar banho. Nunca deixe sua carteira em cima da cama sem estar vigiando, porque é nessa hora que alguns espertinhos levam suas coisas e você nem vê. Faça o mesmo quando for dormir: nada de dinheiro embaixo do travesseiro, ponha seus pertences lá no fundo do saco de dormir. Leve o equivalente a 30 euros por dia de Caminho que será mais que o suficiente. Alguns dias você gastará muito pouco, outros mais, e assim vai compensando.

Se tiver alguma outra dúvida sobre o Caminho de Santiago, faça o download desse mini-guia grátis e veja outras dicas no blog da Suz, o That Good Trip.

Related Post

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*