Casamento na Espanha

Há um bom tempo, a Ana me escreveu perguntando se eu tinha alguma dica sobre como organizar um casamento na Espanha, já que ela morava aqui há alguns meses  com o Saulo, namorado brasileiro, e planejava casar em Madrid. Como eu não tinha sequer ido a um casamento espanhol, não pude ajudá-la, mas pedi que depois ela me contasse como tinha sido a experiência, já que todo mundo tem certa curiosidade de saber como são esses eventos em outro país. E não é que ela escreveu?

Esse é um guest post muito especial porque conta como foi um dos momentos mais bacanas da vida dela e como foi viver essa experiência em outro país. Com vocês, os detalhes do casório da Ana e do Saulo (que foram super fofos mencionando meu blog  como fonte de dicas  da cidade para os convidados que vieram do Brasil).

Foto: Blanco Perfecto

Casar na Espanha x casar no Brasil

Eu e o Saulo, na época noivos, viemos morar na Espanha no início de 2015. Já fazia algum tempo que queríamos morar fora e estávamos atentos a oportunidades, até que surgiu essa de vir para Madrid. Viemos e começamos aqui a nossa “quase” vida de casados, só faltava casar de verdade. Nossa ideia, inicialmente, era casar em 2016, na Espanha mesmo. Por alguma razão que não sabemos explicar muito bem, nunca passou pela nossa cabeça casar em outro lugar. Além do mais, não fazia muito sentido pra gente ter que organizar tudo à distância, já que não queríamos delegar nenhuma tarefa.

Fator financeiro

A verdade é que em termos de investimento não há muita diferença entre casar aqui ou no Brasil. Porém, é verdade que com o dinheiro que gastamos aqui, provavelmente não teríamos conseguido personalizar tanto o nosso dia ou fazer tudo o que foi possível fazer aqui.

E isso se deve muito a um fator cultural. O que as pessoas esperam de um casamento no Brasil é diferente do que se espera aqui. Começando pela decoração. Para nós, a referência de um casamento bonito sempre tinha sido aquela em que grande parte do investimento está nas flores e na ambientação do espaço. Isso nem passa pela cabeça dos espanhóis. Quando mostrávamos as fotos de casamento brasileiros aos fornecedores eles achavam aquilo tudo um exagero ($$$).

Além disso, o local que escolhemos era tão bonito naturalmente que realmente tudo isso não seria nem necessário.

Diferenças culturais

Há algumas diferenças culturais consideráveis entre os brasileiros e os espanhóis quando o tema é casamento. Nós optamos por adaptarmos a muitas delas, já que queríamos que as coisas saíssem bem. Porém, havia um ou outro assunto que era imprescindível para nós e em estes casos, fomos atrás de fornecedores que pudessem adaptar-se à nossa necessidade.  

 

Dinâmica do casamento

No Brasil o espaço onde acontece o jantar e a festa costuma estar bastante integrado e quase não se nota quando começa e termina cada momento. Principalmente porque, ou a comida é apresentada no buffet e você pode se servir a noite toda, ou então há garçons passando enquanto as pessoas já começam a animar a pista.

Aqui funciona bem diferente e cada momento é bastante demarcado por tempos e também por espaços diferentes. 

Momento 1 – Cerimônia: pode ser na igreja ou no mesmo espaço da festa. A nossa foi na chácara onde aconteceu tudo.

Foto: Blanco Perfecto

 
Momento 2 – Coquetel: Os convidados são direcionados a um outro espaço onde já começam a comer e a beber algo. Aqui já fizemos uma adaptação, porque pedimos para que colocassem a partir deste momento caipirinhas, mojitos, aperol.. Porque sabemos que o brasileiro quer beber, quer festar desde o minuto um!
 
Momento 3 – Jantar: As pessoas se sentam para comer em um outro espaço e são servidas como em um restaurante. Primeiro prato, segundo, sobremesa, café. Nós tínhamos medo que as pessoas ficassem um pouco entediadas e com sono nessa parte, então tentamos deixá-la o mais curta possível, tirando a parte do café, que foi colocado junto da mesa do bolo/doces (coisa que aqui não existe):
 
Momento 4 – Festa / Baile: As pessoas são direcionadas a outra área, onde estão o DJ e as copas (coquetéis). 
 
Madrinhas e Padrinhos: 
Esse conceito é super americano / brasileiro e não existe aqui. Eles têm no máximo 2 padrinhos. Nós tinhamos 9 meninos e 9 meninas e isso foi uma loucura para os fornecedores. Justamente por ser algo diferente pra eles, nos preocupava bastante que houvesse algum problema em relação a isso. A nossa Wedding planner teria que guiá-los e organizá-los na cerimônia, e claro, isso tudo em espanhol, com padrinhos brasileiros. Sorte que o noivo chega antes da noiva e essa parte estressante, fica por conta dele!

Foto: Blanco Perfecto

Em relação a convidar os padrinhos, fizemos o típico convite formal com presentinho e tudo. Era uma caixa super bacana que enviamos ao Brasil por uma amiga, e logo nossos parentes trataram de fazer com que chegassem aos donos. Nossos amigos e fornecedores aquí de Madri viam isso e ficavam loucos! Achavam incrível.

 
Música
Nós trouxemos nosso próprio DJ do brasil, porque naã queríamos correr o risco de a pista não “virar” já que, de 150 convidados, 100 eram brasileiros. 

Foto: Blanco Perfecto

 
Presentes
Aqui eles costumam dar de presente o valor que eles acham que custaram para os noivos. Ou seja, se cada pessoa custa em média 150€, é isso que eles te dão. (Nota da Larissa: aqui se usa a expressão: “pagar los cubiertos“, que literalmente seria “pagar os talheres”. Essa expressão se refere ao dinheiro que o convidado vai dar aos noivos como presente de casamento).
 
Cardápio
Nosso fornecedor era ótimo e a comida estava impecável. A única preocupação que tínhamos era de que as pessoas comessem demais, por conta do primeiro e segundo prato + sobremesa.
Além disso, o Saulo estava desesperado com o ponto da carne, já que aqui eles comem bem mais cru e isso poderia “assustar” os convidados. O Catering não quis mudar o ponto da carne deles, até porque eles têm uma reputação aqui em Madrid e entregar uma carne passada demais para o gosto espanhol poderia gerar críticas dos convidados locais.  Porém, aceitavam perfeitamente que alguem devolvesse a carne para “passá-la” um pouco mais. Se os convidados conseguiam se comunicar com os garçons? Bom, todo mundo se virava como podia.

Foto: Blanco Perfecto 

Fornecedores

De maneira geral, encontrar os fornecedores não foi difícil, porque há muitos blogs bacanas com informação confiável. Como não tínhamos muita referencia, íamos diretamente aos mais conhecidos. O complicado mesmo foi encontrar alguém para fazer coisas que eram muito brasileiras, como por exemplo, a mesa de doces. Neste caso tivemos a sorte de que a nossa Wedding Planner acabou conhecendo a Inês. Uma portuguesa que tem um catering em Madrid e que trabalha com uma chef brasileira. Depois de muitas reuniões, provas e alinhamento de expectativas, saiu tudo muito bem!


Logística dos convidados

Nós enviamos o save the date com 1 ano de antecedência e fizemos um site com toda a informação que pensamos que poderia ser útil. Ainda assim, choveram perguntas e as pessoas contavam muito com a gente para tudo. É um pouco cansativo realmente, porque parece que elas se esquecem de que você está organizando um casamento e que tem muitas outras preocupações e ansiedades que vão além de propor um roteiro personalizado para cada um de acordo com suas datas, gostos e vontades. Foi complicado, mas no final, todo mundo viajou contente pela Europa com pit stop para o nosso casamento.
  

Cerimônia

A cerimônia não foi religiosa, aconteceu na própria chácara, ao ar livre. O meu padrinho José, que é padre, foi quem a fez, em português mesmo.

Foto: Blanco Perfecto

 

Momentos curiosos

Quando falamos que nosso casamento teria que ter caipirinha, eles nos propuseram uma “coisa” e não pensamos duas vezes em dizer: “se é para oferecer ‘isso’, melhor não ter caipirinha”. Ela era feita com um pré-preparado, terrível. Então o que fizemos foi trazer cachaça do Brasil e pagar um extra para que colocassem um barman específico, fazendo as caipirinhas de verdade.

 Outro momento curioso foi quando mostramos para o responsável do catering como era uma mesa de doces no Brasil, dessas maravilhosas, lotadas de flores. Ele enlouqueceu e disse: “mas isso custa mais que o casamento todo!”.

Vestido

Eu nunca tive o sonho de casar e essa coisa de princesa que desde pequena já sabe extamente como vai ser o seu grande dia. Porém, quando comecei a pensar no assunto, tinha claro que o meu vestido seria feito sob medida. Para isso, comecei a pesquisar quais eram as estilistas referência de vestidos de noiva em Madrid e comecei a visitá-las. Fui em três e a terceira delas foi com quem eu mais me identifiquei.

O processo é bastante longo, com muitas provas, e você demora muito até saber como vai ser seu vestido realmente. Principalmente no meu caso, que não tinha nada pensado. Deixei tudo na mão dela. Outra curiosidade é que elas não conheciam a tradição brasileira de colocar o nome das amigas na barra do vestido e acharam super legal a ideia e colocaram todos os nomes bordados na barra.

Foto: Blanco Perfecto

Dicas

Se eu fosse dar recomendações pra alguém que está na mesma situação que eu estive, eu diria:
 
  • Busque com cuidado sua Wedding Planner, porque nós buscamos no desespero, com pressa, e depois vimos que elas não tinha o gosto tão alinhado com o nosso, o que nos deu o dobro de trabalho, porque sempre ficávamos apreensivos quando elas iam fazer as coisas por conta própria.
  • Nós tivemos que contratar wedding planner porque acabávamos de nos mudar para Madrid, não temos carro e seria muito complicado visitar sozinhos e de transporte público todas as opções de locais, já que costumam ser bem fora da cidade. Com isso elas nos ajudaram bastante. Mas é verdade que superada esta parte, elas não foram tão imprescindíveis assim. Muitas vezes a própria chácara ou catering tem seus organizadores e eles poderiam fazer o papel que as nossas wedding fizeram. Por outro lado, não é muito caro (1.500€), então acaba valendo a pena. De todas as formas, é preciso ficar atento, porque elas sempre vão te direcionar para o caminho que mais interesse a elas ($$$$).
  • Parece uma loucura trazer tantos convidados do Brasil, mas é verdade que para eles também é uma experiência incrível (superado o gasto com a viagem, hahaha!!) porque muita gente que veio nunca tinha feito uma viagem assim e foi uma “desculpa” para vir. Mas também é preciso estar ciente de que muita gente querida não poderá vir.

Foto: Blanco Perfecto

Os nossos fornecedores foram:
Wedding Planner: The big day
Chácara (finca): Soto de Gracia
Catering: Leal Maese 
Vestido: Ines Martin Alcalde
Tocado: Mimoki
Cabelo: Marieta Hairstyle
Maquiagem: Alvaro Talayero
Buquê: Margarida se llama mi amor
Mesa de doces brasileira: Ines & Co
Foto: Blanco Perfecto
Vídeo: Downtown
 
Neste post, há mais fotos do casamento. Ana e Saulo, obrigada por compartilhar detalhes do casamento aqui no blog e muitas felicidades a vocês. ¡Enhorabuena!

Related Post

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*