Restaurante sírio em Madrid

Eu poderia começar esse texto diretamente recomendando um lugar que descobri e amei: o restaurante sírio Damasco, em Alcobendas, do lado de Madrid. Mas eu preciso fazer uma introdução bem pessoal (e longa).

É incrível como a minha relação comida mudou desde que cheguei aqui e acho que isso acontece com muita gente que sai do país. Você deixa o conforto daquela alimentação que conhece para provar coisas novas e, muitas vezes, fazer delas parte do seu dia-a-dia. Para mim, foi extremamente fácil me acostumar com a gastronomia espanhola e até coisas que eu detestava, como morcilla, passaram a ser parte da minha “dieta”.

Se eu não sinto falta da comida do Brasil? Sinto, mas não tanto a ponto de fazer comida brasileira com frequência nem ir a restaurantes brasileiros aqui em Madrid. Eu prefiro deixar essa experiência para quando for ao Brasil mesmo.

Por outro lado, do que eu sinto muita, mas MUITA falta, são das experiências gastronômicas que eu vivia lá: os churrascos com meus primos aos domingos, as festas de aniversário com brigadeiro e bolinha de queijo e principalmente os almoços de domingo com a minha família materna, sempre preparados pela bisa.

Minha bisavó era filha de imigrantes libaneses e por isso fazia com frequência pratos como quibe, tabule, charuto, babaganoush. E tudo era delicioso! Incrivemente delicioso! E só quando vim morar na Espanha, sozinha, que me dei conta do trabalhão que dava preparar toda aquela comida… e que aquele momento de compartilhar o almoço era uma forma de amor incrível.

Há uns dois anos, ao pedir comida árabe em casa, nos trouxeram arroz e o arroz veio com “macarrão com macarrãozinho”, que era algo que ela fazia muito e eu nunca mais tinha comido. Ao ver aquilo no prato, foi inevitável cair no choro. Eu comia e chorava…

(fim da longa intro)

Sempre procurei restaurantes sírio-libaneses em Madrid, sem muito sucesso. Até que a seção Comidista do jornal El País publicou um artigo sobre o Damasco e decidi ir até lá para provar. Sabe quando chega a comida e você se sente em casa e aquilo te traz um monte de memórias? Foi exatamente assim!

Provamos várias coisas, começando pela porção de esfirras. Nunca tinha provado esfirra  em Madrid e estavam deliciosas! Dá para pedir de um sabor ou variado.

Depois pedimos charuto e estava muito bom, embora os charutos fossem bem pequenos e sobrasse um pouco dessa salsa.

Partimos pro babaganoush, que estava delicioso! Com um pão sírio fresquinho, uma combinação perfeita pra essas noites de verão.

Como é tão difícil encontrar restaurantes sírios aqui, eu queria provar tudo e pedi um prato completo – mas toda essa comida foi dividida entre dois. Foi então que veio o famoso arroz com macarrãozinho e ao relembrar da minha bisa e da ocasião anterior, caí no choro de novo!

O prato completo vinha ainda com kafta, hummus, mais babanoush (bobeamos pedindo o anterior), tomate e muhama (uma espécie de creme de pão). Confesso que, apesar de estar super cheia, ainda queria provar os doces – que amo -, mas tinham acabado. Pelo menos tenho outra desculpa para voltar!

Os preços são bem bacanas e, com exceção dos pratos principais, todo o resto custa entre 5€ e 7€. O preço para duas pessoas foi de cerca de 37€ (incluindo bebidas).

Saí de lá triste e feliz, mas sem dúvida com vontade de voltar, porque é fundamental às vezes ir a lugares que nos fazem lembrar quem somos e de onde viemos. E eu tenho a sorte de vir de uma casa onde se come muito bem!

Restaurante Damasco
Pasaje de la Radio,N5, Alcobendas

Related Post

1 Comentário em Restaurante sírio em Madrid

  1. Que bom saber desse restaurante Larissa!
    Apesar da ascendência italiana, nós temos vários amigos com ascendência árabe e amamos a comida, e eu estava mesmo tentando achar um lugar como temos muitos em São Paulo! Ótima dica, valeu!

Escreva um comentário

Seu e-mail não será divulgado


*